Receitinhas de São João

xreceitas-festa-junina-4-75-1293-thumb-570.jpg.pagespeed.ic.hTxdtt1AM0

Maçã do amor

Ingredientes:

– 6 maçãs pequenas e vermelhas

– 6 palitos para sorvete

– 2 xícaras (chá) de açúcar granulado (380g)

– ½ xícara (chá) de glucose de milho (150g)

– 1 xícara (chá) de água (200ml)

– 1 colher (chá) de corante alimentício vermelho (5ml)

Modo de fazer:

Espete um palito no centro de cada maçã e reserve. Ferva o açúcar granulado com a glucose, a água e o corante até obter uma calda em ponto de bala dura (vidrado 168ºC). Retire do fogo e mergulhe rapidamente as maçãs, uma por vez. Coloque-as sobre uma superfície untada com óleo e espere endurecer. Embale em papel celofane, cuidando para que não fique descoberta nenhuma parte da fruta.

Dica: Para reconhecer o “ponto de bala dura” da calda, jogue algumas gotas da calda dentro de um copo com água fria. Ela deve cair e fazer um estalo. Se a calda começar a endurecer, enquanto está banhando as maçãs, volte ao fogo baixo para amolecê-la.

Receitinhas de São João

xreceitas-festa-junina-3-75-1293-thumb-570.jpg.pagespeed.ic.i8-oKf4Bq6

Cocada

Ingredientes:

– 4 xícaras (chá) de açúcar granulado (760g)

– 3 xícaras (chá) de água (600ml)

– 5 xícaras (chá) de coco fresco ralado (400g)

– 1 e ½ xícara (chá) de leite (150ml)

Modo de preparo:

Ferva o açúcar com a água até obter uma calda em ponto de bala mole (115°C). Adicione o coco ralado e o leite e cozinhe, sem parar de mexer, até se soltar do fundo da panela. Despeje sobre uma bancada de pedra untada com manteiga e, com a ajuda de uma guia de 1cm de altura, nivele o doce e deixe esfriar.

Corte a cocada em quadrados de 4cm.

Origem da Quadrilhada Junina

trab2A quadrilha, dança típica das festas juninas brasileiras,  é carregada de referências caipiras e matutas. Mas sua origem vem de muito longe. A “quadrille” surgiu em Paris, no século XVIII, como uma dança de salão composta por quatro casais. Rapidamente se espalhou por toda a Europa, sendo assim uma dança presente em todas as festividades da nobreza. Era dançada pela elite europeia e veio para o Brasil durante o período da Regência (por volta de 1830), onde era febre no ambiente aristocrático. Rapidamente essa dança de salão, típica da nobreza, caiu nas graças do nosso povo animado e festeiro. É importante lembrar que a quadrilha é uma dança característica dos caipiras, pessoas que moram na roça e têm costumes muito pitorescos.

ca. 1867-1935

Um dos resquícios franceses na dança são os comandos proferidos pelo marcador da quadrilha. Escolhido, geralmente, entre os mais experientes do grupo, seu papel é anunciar os próximos passos da coreografia. O abrasileiramento de termos franceses deram origem, por exemplo, ao saruê (Soirée – reunião social noturna, ordem para todos se juntarem no centro do salão), anarriê (en arrière – para trás) e anavã (en avant – para frente), “Balancê” que quer dizer Balancer ,significando que todos os participante devem dançar balançando em seus lugares com seus pares..”Cumprimenta vis-a-vis.Avan. tú”, que quer dizer avançar para o centro a fim de cumprimentar com acêno de cabeça.

QuadrilhasPara muitos, a quadrilha não se restringe ao mês de junho. Grupos profissionais de quadrilheiros levam a sério a dança, se apresentam em festas e participam de concursos durante todo o ano.festa_junina_no_nordeste

Para dançar, basta ter disposição. Muitos  grupos acolhem pessoas de todas as idades. Os integrantes do grupo devem ter, porém, disponibilidade, já que ser quadrilheiro profissional significa ter uma agenda apertada.Quadrilha-Junina-de-Gurupi-_-Adilvan-Nogueira

Mais do que arte e dança, a quadrilha junina é uma expressão da cultura popular. E quem se dispõe a desenvolvê-la, acaba perpetuando a tradição.

.

Um pouco mais de Forró, por favor!!!

fORRO DA QUEBRADA1

De acordo com pesquisadores, o forró surgiu no século XIX. Nesta época, como as pistas de dança eram de barro batido, era necessário molhá-las antes, para que a poeira não levantasse. As pessoas dançavam arrastando os pés para evitar que a poeira subisse.

forro-do-idosoA origem do nome forró tem várias versões, porém a mais aceita é que a palavra forró deriva da abreviação de forrobodó, que significa arrasta-pé, confusão, farra. Mas há quem diga que o termo tenha origem na expressão da língua inglesa “for all” – para todos em português. A lendária história, aceita e divulgada por muito artistas,  diz que quando ingleses instalados em Pernambuco para a construção da estrada de ferro no início do século  XX promoviam bailes abertos ao público, o for all, palavra que aportuguesada pelos nordestinos virou o nosso forró. Outra versão conta a mesma história, mas com personagens diferentes. Os responsáveis pelas festas seriam norte-americanos de uma Base Militar instalada em Natal durante a 2ª. Guerra Mundial. aba_forro-para-todos

Embora seja tipicamente nordestino, o forró espalhou-se pelo Brasil fazendo grande sucesso. Foram os migrantes nordestinos que espalharam o forró, principalmente nas décadas de 1960 e 1970.

forroAtualmente, existem vários gêneros de forró entre eles os mais conhecidos: forró eletrônico, forró tradicional, forró universitário e o forró pé de serra.forró-do-povo

O primeiro registro musical é de 1937, na canção “Forró na Roça”, dos compositores Manoel Queiróz e Xerém. Mas foi Luiz Gonzaga, no início da década de 50, e o processo de imigração dos nordestinos para o sul do país, que levaram o ritmo para o resto do Brasil. Junto com Mestre Lua, Sivuca, Genival Lacerda, Marinês e Dominguinhos são ícones desse gênero musical.

xilogravura+papel+preto+e+branca+forro+recife+pe+brasil__163114_1No início da década de 90, a sanfona, o triângulo e a zabumba receberam um reforço eletrônico. No Ceará, Emanuel Gurgel, empresário da área musical, incluiu guitarra, teclado, baixo e bateria nos palcos. Nascia aí a Oxente Music. Entre as bandas do chamado “forró eletrônico” a precursora, Mastruz com Leite sobrevive até hoje, ao lado de bandas como Aviões do Forró, Magníficos, Limão com Mel, Calcinha Preta, que são atrações das principais festas de juninas do país como Caruaru e Campina Grande. 4fba3240655d7

O ritmo também foi o primeiro da onda dos universitários. Como uma festa para todos, de origem dos antepassados africanos, o forró é parte importante da cultural brasileira. O ritmo é dançado juntinho, mas quem não tem par também pode arrastar o pé sozinho. De tão importante tem até um dia reservado para homenageá-lo.  O Dia do Forró é comemorado em 13 de dezembro, mesmo data do aniversário de nascimento do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, o principal propagador do ritmo.luizgonzaga-

Acabou a Festa???

Quem pensa que a festa acabou, tá muito enganado, como diria Luiz Gonzaga “O candeeiro se apagou, o sanfoneiro cochilou, a sanfona não parou, e o forró continuou…” (Forró no escuro). O dia de São João passou, mas ainda tem São Pedro (dia 29) e no Nordeste a festa continua, que tal mais inspirações para a festança???

2010_0207_festa_sao_pedro 610555-decoracao-festa-junina-20-600x600 comidas-tipicas-festa-junina decoração-de-festa-junina-1 festajunina2 festa-junina-decoração festas-itmae mesa-festa-junina segredos-da-vovo-Decoração-Festa-Junina1

Receitinhas de São João

Pamonha de Forno

receita-de-pamonha-no-forno.-rapida-e-pratica

Ingredientes:

03 copos de milho verde

02 copos de açúcar

02 copos de leite de coco

02 ovos

04 c.s. de farinha de trigo

01 c.c de fermento

01 pitada de sal

Meio tablete de margarina

Modo de preparo:

Bata todos os ingredientes no liquidificador, coloque em uma fôrma untada com margarina. Assar em forno médio

Receitinhas do São João

Tapioca Molhada

9 b

Ingredientes:
800 ml de leite de soja
500 ml (vidro grande) de leite de coco
1 coco ralado fresco
açúcar a gosto
1/2 kg de farinha de tapioca

Modo de preparo:
Misture todos os ingredientes. Depois derrame em uma forma redonda (daquelas para pudim) e leve à geladeira por 1 hora. Passado o tempo é só desenformar.

Receitinhas de São João

Canjica de milho

canjica-de-milho

Ingredientes

  • 10 espigas de milho verde ou 5 latas de milho em conserva
  • Canela em pó para polvilhar
  • 200 ml de leite de coco
  • 1 lata de leite condensado
  • 2 xícaras de chá de leite

Modo de Preparo

Primeiro retire os grãos de milho, corte-os bem rente ao sabugo, depois bata-os no liquidificador com o leite e peneire apertando bem. Adicione leite condensado e leve ao fogo, mexendo até obter uma textura de creme grosso, coloque leite de coco, mexa mais um pouco para a mistura ficar homogenia e retire do fogo. Despeje em um recipiente circular ou retangular (será o formato que vai ficar a canjica), deixe esfriar, polvilhe a canela em pó por cima e depois é só saborear.

Receitinhas de São João

Bolo de macaxeira

Bolo-macaxeira-combina-cafe-preto_ACRIMA20120110_0008_15

Ingredientes

6 colheres de sopa de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
1 pitada de sal
3 colheres de sopa de manteiga
3 xícaras de chá de açúcar
6 ovos
4 xícaras de chá de macaxeira crua e ralada
1 xícara de chá de coco ralado
1/2 xícara de chá de leite de coco
2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado

Modo de Preparo

Peneire juntos a farinha, o fermento, o sal e o açúcar. Bata a manteiga com o açúcar, junte os ovos batendo sempre, acrescente a macaxeira, os ingredientes secos, o coco, o leite de coco e o queijo. Bata mais um pouco até misturar bem. Coloque a massa numa assadeira de 26 x 40 cm untada e leve ao forno quente pré-aquecido (200º) por aproximadamente 1 hora ou até que esteja dourado e ao ponto.